Translate

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Nova sede da Mazda USA

A Mazda North America Operations (MNAO) tem uma nova sede em Irvine a poucos metros da anterior localização. Irá passar de 7755 Irvine Center Drive para o nº 200 Spectrum Center Drive, ocupando o lobby mais 5 pisos deste arranha-céus acabado de construir.


Esta não é a única mudança em curso no que toca à presença da Mazda na América. Também os concessionários estão a ser renovados desde o ano passado ganhando um aspeto mais aproximado dos stands japoneses e que de resto serviram de inspiração à skin do nosso blog. Haverá também algumas mudanças de localização e mais formação para os representantes locais.


O objetivo final desta intervenção é contribuir para um aumento do valor da marca para que isso se traduza numa passagem de 1,7% de quota de mercado para 2% sem ter de recorrer a incentivos agressivos.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Lançamento do Mazda CX-8

Enquanto a Europa foca atenções no salão de Frankfurt, a Mazda revela o novo modelo CX-8 no Japão, país onde será vendido para já exclusivamente. O presidente da Mazda, Masamichi Kogai, referiu na sua intervenção que este modelo pretende fazer esquecer as minivans e reafirmar a aposta nos motores a gasóleo uma vez que este modelo vem apenas equipado com uma motorização 2.2L Skyactiv-D, portanto a diesel, e com caixa automática de 6 velocidades. De assinalar que este modelo passará a ser o topo de gama da marca no seu país natal.











Conforme já tinha sido anunciado, este CX-8 tem como possibilidades a configuração de 6 ou 7 lugares havendo também diferenças na segunda fila de bancos conforme o nível de equipamento. No interior é perceptível um aumento da qualidade como já acontece com o CX-5.



De resto as semelhanças com o CX-5 já eram esperadas por isso colocamos a seguir uma comparação lado a lado onde os dois se conseguem distinguir exteriormente apenas pelo preenchimento da grelha, tamanho das janelas traseiras e pela existência de barras de tejadilho no CX-8. No interior, para além dos bancos, apenas a forma da consola central muda muito ligeiramente.

CX-5
CX-8

Partilhamos finalmente o vídeo oficial de apresentação com o pormenor curioso da fonética usada no Japão para o nome do modelo: CX em inglês e o 8, intencionalmente ou não, a parecer português.



O grande salão automóvel do ano para a Mazda será o bienal Tokyo Motor Show a realizar no final de Outubro e onde se espera a revelação do futuro Mazda3 e do novo modelo RX.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Nota máxima para a segurança do novo CX-5

Saíram recentemente os resultados de várias instituições reconhecidas para a avaliação independente da segurança dos automóveis. O novo Mazda CX-5 que terá nas próximas semanas o seu lançamento nacional, conseguiu a nota máxima de 5 estrelas em todos eles.

Começando pela instituição europeia EuroNCAP fica o vídeo dos crash tests realizados e o respetivo resumo dos resultados com atribuição das 5 estrelas. O vídeo publicado é bastante completo revelando as várias provas quer à segurança ativa quer à segurança passiva do novo modelo.


Na Ásia, o JNCAP também atribui 5 estrelas que converte a partir de uma pontuação obtida. Esse valor "exato" permite uma comparação mais fina com outros modelos. Aqui publicamos apenas um exemplo dos crash tests realizados e o resumo dos resultados.



Nos EUA, a nota máxima do IIHS é considerar o veículo um Top Safety Pick+, classificação conseguida pelo CX-5 bem como por toda a restante gama à venda na América com exceção do MX-5 que ainda não foi testado. Mais uma vez fica um vídeo exemplo e o resumo da avaliação.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Vídeo dos protótipos Skyactiv-X em movimento

Uma semana depois das fotos, temos o primeiro vídeo dinâmico do Skyactiv-X. No final estão também algumas imagens técnicas do novo motor.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Skyactiv-X já apanhado em testes

Utilizando a carroçaria de um Mazda3 pré-restyle, a Mazda anda a testar o novo motor Skyactiv-X por terras europeias. Na apresentação oficial, foi referido que em breve os jornalistas seriam convidados a experimentar o novo motor portanto não é estranha esta aparição pública ainda por cima dizendo claramente na lateral aquilo que estamos a ver.







Pelas fotos, podemos deduzir que há pelo menos 5 destas viaturas preparadas para dar a conhecer a nova tecnologia montada na plataforma do atual Mazda3. No entanto, espera-se para muito breve (outubro) a apresentação do protótipo que dará origem ao novo Mazda3 e que irá estrear o "Kodo Design 2" conforme o plano oficial da marca aqui publicado em artigo anterior.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Visão a longo prazo da Mazda com motor revolucionário

Agosto está a ser um mês de definição estratégica para a Mazda. Esta semana foi apresentada a visão a longo prazo da marca com o nome "Zoom-Zoom Sustentável 2030". A designação denuncia que se trata de uma estratégia de continuidade na qual os termos Zoom-Zoom, Kodo e Skyactiv se irão manter com as devidas atualizações.

Em termos de representação gráfica mantém-se a utilização de uma árvore, cada vez mais crescida, na qual agora se lê "Terra", "Sociedade" e "Pessoas".
  • A Terra representa a preocupação ecológica com a definição de metas claras para redução da pegada ambiental em tudo o que é relacionado com a utilização do automóvel, desde a extracção de petróleo para combustível ou electricidade até ao seu desmantelamento, etapa na qual os veículos elétricos ainda não respondem cabalmente ao que fazer quando chega a hora reciclar baterias. A Mazda acredita que nos próximos anos os veículos a combustão continuarão a ser grande maioria e que por isso merecem o investimento.
  • A Sociedade representando a qualidade de vida que primeiro, os sistemas de segurança, e segundo, a condução autónoma, irão trazer. No primeiro ponto com a expansão dos sistemas i-Activsense a todos os modelos e mercados e no segundo ponto através de um programa já em curso chamado Mazda Co-Pilot Concept que deverá mostrar os seus frutos em 2020 para aplicação prática em 2025.
  • As Pessoas pelo que diz respeito ao prazer de condução ou Jinba-ittai que continuará a regrar o desenvolvimento dos novos modelos. Não se espere por exemplo que o programa referido no ponto anterior vá substituir o ser humano enquanto condutor. Mais uma vez a abordagem da Mazda é diferente e por isso lhe chama co-piloto. A Mazda acredita que as pessoas têm prazer a conduzir por isso o sistema irá apenas monitorizar a condução e só atuar em situações inesperadas, como uma perda súbita de consciência, na qual o carro substituirá o condutor, contactará automaticamente os serviços de emergência e irá conduzir-se com segurança para o local mais apropriado. Mas acima de tudo no que toca às pessoas pretende-se manter a forte ligação que a marca desperta nos seus clientes e fãs.
Em linha com esta visão foi anunciado um novo tipo de motores designado de Skyactiv-X. Isto significa que os próximos modelos terão como opção motorizações a gasolina Skyactiv-G de 2ª geração, a gasóleo Skyactiv-D de 2ª geração e os Skyactiv-X que apesar de alimentados a gasolina têm um funcionamento idêntico aos diesel, isto é, a combustão dá-se devido à compressão de ar com gasolina e não pela faísca de uma vela. Em conjunto com a utilização de turbo, este motor tem ganhos ao nível de torque e eficiência conseguindo consumos iguais ou até melhores que os Skyactiv-D. No fundo a Mazda acredita ter conseguido juntar neste novo tipo de motor as vantagens de "um gasolina" e de "um diesel".

A tecnologia por trás é chamada de HCCI (Homogeneous Charge Compression Ignition) e já tinha sido aqui apresentada. Não tem sido explorada em exclusivo pela Mazda mas mais uma vez será a marca nipónica a inovar colocando no mercado mais um novo tipo de motor revolucionário.

Resumem-se a seguir as diferentes tecnologias que fazem parte na nova estratégia através do seguinte plano de lançamentos e apresentações (de acordo com as cores):


Para concluir, apenas a nota de que há referência nesta visão ao desenvolvimento de veículos elétricos com destino inicialmente a países que já tenham políticas de incentivo ou até de exclusividade para este tipo motorização mas nenhuma referência se vê ao motor rotativo que por aqui mantemos a convicção, será apresentado também em 2019. Neste capitulo a Mazda mantém o segredo como alma do negócio.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Investimento mutuo entre Mazda e Toyota

A parceria entre Mazda e Toyota deu um passo em frente com as duas marcas a anunciar hoje os termos de um acordo que inclui compra de capital nas duas marcas. O protocolo anterior cuja notícia pode ser consultada aqui pretendia analisar de que forma as duas marcas poderiam obter vantagens mutuamente e o resultado é este novo memorando de entendimento. Os principais tópicos desse memorando são:

  • Criação de uma joint-venture a 50-50 nos EUA que começará a produzir em 2021 com capacidade anual de 300.000 carros. Nela serão produzidos os modelos CX da Mazda e o futuro Corolla da Toyota ambos com destino ao mercado Norte Americano. Ambas as marcas esclareceram que isto não irá significar redução de investimento no México onde a Mazda já tem e a Toyota também virá a ter uma fábrica.
  • Desenvolver conjuntamente tecnologia para os automóveis elétricos com referência à partilha de conhecimentos entre as duas marcas de forma livre e ativa.
  • Desenvolver conjuntamente tecnologia para os automóveis conetados quer no que toca ao info-entretenimento quer no que toca à segurança pela conetividade carro-para-carro e carro-para-infraestrutura.
  • Produção de produtos complementares que se traduz na continuação da produção Mazda de um sedan para a Toyota enquanto esta irá construir para a Mazda um novo comercial do estilo Mazda Bongo vendido no Japão.

Adicionalmente as duas empresas irão em Outubro comprar participação uma na outra no mesmo valor sendo que no caso da Toyota esse valor se traduziu numa posse de 5,05% da Mazda e no caso da Mazda a mesma quantia correspondeu a participação em 0,25% da Toyota.


A Toyota passará a ser o 2º maior acionista da Mazda o que mostra o nível de comprometimento que as marcas estão a assumir ao dar este passo mas reforçando que cada uma manterá a sua autonomia.